Back to top

MEMÓRIA, IMAGEM E ESQUECIMENTO NA CIDADE DE SÃO PAULO: ETNOGRAFIA E ARTE NA EVOCAÇÃO DOS LUGARES DE ESCRAVIDÃO E CONFLITOS SILENCIADOS

Tipo de Trabalho 

Artigo

O presente artigo aborda os vários lugares de memória que existem na cidade de São Paulo, e, dentre eles, o bairro da Liberdade, que é o objeto de reflexão neste texto. No passado ele foi palco de conflitos sociais e políticos, marginalização, escravidão, punição e enforcamentos na época do Império. No presente, possibilita o diálogo a partir dos poucos patrimônios de cal e pedra que restaram como a Capela dos Aflitos, a Igreja Santa Cruz das Almas dos Enforcados, e outros, a partir de sua dimensão simbólica como o Cemitério dos Aflitos, o Pelourinho e o Largo da Forca que sofreram apagamentos frente à rápida urbanização. Além da abordagem histórica com enfoque no patrimônio material e imaterial, insere-se neste contexto, a possibilidade de novas construções de imagens, narrativas e (re) descobertas a partir de seus conteúdos que ali permanecem e narram acontecimentos de uma época - em decorrência de grupos  e devotos religiosos que frequentam o território - de população, de uma cultura que desde a colonização sofreu imposições com base na exclusão e opressão.