Back to top

O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL DA PRIMEIRA REPÚBLICA E A SEGREGAÇÃO SOCIAL CONSEQUENTE

Tipo de Trabalho 

Artigo

Esta pesquisa busca investigar, essencialmente, o processo de urbanização no Brasil da Primeira República, sobretudo no contexto do Distrito Federal, e como o mesmo influenciou decisivamente no fenômeno de exclusão social e no decorrente surgimento das favelas e de uma classe social de estigmatizados. Faz-se necessária uma análise do contexto histórico do recorte temporal determinado, a saber, o início do século XX, enfatizando como as reformas urbanísticas fomentaram o desequilíbrio social no Rio de Janeiro. Para a realização da presente pesquisa será utilizada a metodologia de revisão bibliográfica. Esta revisão bibliográfica se caracteriza por ser analítica e de caráter descritivo. O principal objetivo deste método é expor, de maneira resumida, as principais ideias já discutidas pelos autores pesquisados que trataram do problema, levantando críticas e dúvidas, quando possível. Dentre todas as pretensas inovações e adaptações urbanas a modernidade, a população pobre, a classe dos despossuídos, foi relegada a marginalização, concentrada em guetos, mesmo sendo esse um processo não planejado. O surgimento das favelas demonstra claramente que o projeto, apesar de positivo em certos aspectos, deu início a segregação social, fenômeno observável até os dias de hoje.