Back to top

UMA REVISÃO DE LITERATURA DA ABORDAGEM TEÓRICA DA HUMANIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA AO PARTO: UM ENFOQUE À PORTO VELHO/RO

Tipo de Trabalho 

Artigo

RESUMO

Introdução: A partir do processo de institucionalização do parto, no século passado ocorreu um crescimento na indicação e realização de cesáreas, consequentemente, um aumento dos índices de morbimortalidade materna e perinatal, favorecendo a desumanização da assistência. Contudo, nas últimas duas décadas têm acontecido um movimento de promoção da assistência humanizada à parturiente e família pelos profissionais da saúde. Objetivo: Desse modo, o objetivo é analisar as questões relativas à assistência humanizada no parto, principalmente no que diz respeito a atuação dos profissionais de enfermagem, e a criação e aplicabilidade das políticas públicas nas instituições médicas do município de Porto Velho. Métodos: Para tanto, foi realizada uma revisão integrativa da literatura com enfoque qualitativo-descritivo através da busca por artigos científicos indexados nas bases de dados Google Acadêmico e Scielo, entre os anos de 2001 a 2019, no total de 42 artigos, destes, foram analisados 19 estudos, que atenderam os objetivos da pesquisa. Resultados: A partir da análise pode-se perceber que as políticas públicas de humanização foram implantadas em toda a rede de assistência do SUS, sendo incentivado a opção pelo parto normal. Contudo, nas instituições privadas ainda são grandes os números de procedimentos cirúrgicos desnecessários. Sendo que Rondônia, representada pelo município de Porto Velho, possuí um dos mais altos índices de cesarianas. Todavia, nas unidades de atendimento público cerca de 70% dos partos são naturais. Conclusões: Nesse sentido, entendemos que a formação continuada dos profissionais de enfermagem são um fator fundamental para a aplicabilidade das políticas de humanização do parto. Concomitantemente, a ampliação de ações voltadas para o setor privado, aliada a uma política de informação as gestantes, se configuram como essenciais para reduzir os índices de cesarianas no Brasil e ampliar o processo de humanização da assistência ao parto.